Controle de Ponto, Departamento Pessoal

Controle de ponto para funcionários: por que não posso deixar de fazer?

junho 7, 2019
controle de horas batida
Tempo de leitura 6 min

Há muitas razões pelas quais o gestor não pode deixar de investir no controle de ponto para funcionários: esse controle atende a legislação trabalhista, gera ganhos de produtividade no expediente e ainda sustenta uma forte percepção de justiça.

Por outro lado, são muitos os riscos da falta dele, como a desorganização, as multas e penalidades, além do descumprimento da lei. À vista disso, se um gestor deixa de monitorar adequadamente a jornada de trabalho, está prejudicando todo o empreendimento.

Nos próximos tópicos, vamos nos aprofundar nesses itens e esclarecer os perigos da falta de controle de ponto para funcionários. Continue a leitura!

O que é controle de ponto e qual sua legislação?

O controle de ponto nada mais é do que o registro da entrada e saída de um profissional ao longo do expediente de trabalho. Ele é obrigatório tanto para as pequenas, quanto para as grandes empresas. Além disso, contribui para arquitetar uma ótima gestão de pessoas.

A Lei 7.855, Art. 42, parágrafo segundo, diz que, para estabelecimentos com mais de “dez trabalhadores, será obrigatória a anotação da hora de entrada e de saída”, concluindo que a mesma pode ser feita por meio de registro manual, mecânico ou eletrônico.

Anos depois, o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) decretou as portarias 1510 e 373, objetivando garantir meios mais eficientes para monitoramento da jornada de trabalho. Essas portarias regulam o uso do ponto eletrônico e software de gestão do ponto.

Perceba que há uma legislação efetiva e que determina que boa parte das empresas registrem a jornada de trabalho dos empregados, com horários consistentes de entrada e saída. Caso isso não seja cumprido, a empresa pode ter graves problemas legais.

Quais os riscos de não fazer o controle de ponto?

Atuar em desconformidade com a lei, por si só, é um grave problema e pode prejudicar a empresa de múltiplas formas, mas também existem riscos à estratégia do negócio.

Caso o controle de ponto não seja feito, é provável que os talentos se sintam prejudicados e optem por migrar para a concorrência. Esclarecemos esses e outros riscos nos próximos tópicos!

Processos trabalhistas

Um dos principais riscos é a ocorrência de processos trabalhistas. Se os profissionais percebem que suas horas não estão devidamente registradas e que podem ser prejudicados por isso, é provável que entrem com recursos mediante a Justiça do Trabalho.

Nessa hipótese, é muito difícil que a empresa consiga contornar a situação. A Justiça do Trabalho sempre pendeu mais para o lado do empregado, e, caso o empregador não tenha os registros da jornada de trabalho, esse pode ser apenas o início de um grande problema.

Multas

Uma consequência dos processos trabalhistas ou da fiscalização do Ministério do Trabalho, caso a organização esteja em desconformidade, é a multa. O empreendimento pode ter que pagar caro por conta do descuido inicial, podendo até mesmo ser levado à bancarrota.

A verdade é que os riscos e a eventual multa saem muito mais caro do que o registro inicial e minucioso do ponto. O controle da jornada de trabalho não é custoso e pode até gerar economia. Infelizmente, pela imprudência, a empresa pode acabar multada.

Desorganização no expediente

O RH precisa de diversos dados para tocar suas rotinas de departamento pessoal. O registro dos horários de entrada e saída é um dos principais, pois é a partir dele que os vencimentos e descontos serão calculados. Se isso não estiver em ordem, o RH terá trabalho dobrado.

Porém, essa desordem não se restringe só ao cálculo dos proventos. Se um funcionário deseja saber, por exemplo, quantas horas extras fez no fim do mês ou qual o seu banco de horas, é provável que não tenha essas informações — novamente, por conta da desordem.

Custos excedentes

Quando o assunto é jornada de trabalho, a falta de controle ou desordem nos dados pode representar custos adicionais à gestão de pessoas. Por exemplo, o setor de RH pode pagar duas vezes a mesma hora extra ou arcar com uma hora que nem foi trabalhada.

Nesse caso, o orçamento do RH e do restante da empresa é comprometido. Os custos operacionais tornam-se maiores, mesmo que sem justificativa. Em seguida, a margem de lucro e a rentabilidade começam a declinar, o que afeta a competitividade do negócio.

Evasão dos principais talentos

Profissionais talentosos ajudam a construir um negócio bem-sucedido e reforçam a força de trabalho. No entanto, gostam de se sentir seguros e recompensados no serviço. Problemas com o controle do ponto não contribuem com nenhum desses fatores.

Caso um talento perceba que seu horário de trabalho não é monitorado corretamente, pode ficar frustrado. Como resultado, pode iniciar um embate judicial com a empresa ou simplesmente partir para a concorrência. De qualquer forma, a empresa sairá perdendo.

Qual a importância do software de controle de ponto?

Como você pôde observar, o controle de ponto para funcionários é algo exigido por lei. Seu descumprimento pode prejudicar bastante a empresa, tanto em termos financeiros quanto produtivos. Agora, a questão é: como garantir o correto registro do horário de trabalho?

É preciso contar com a ajuda da tecnologia. Aquele antigo livro de ponto, onde os empregados registram sua jornada, dá muita margem para erros. O talento pode, mesmo sem intenção, incluir um horário incorreto, e isso vai afetar todo o processo subsequente. Além disso, o trabalho de apuração é hercúleo.

Automatização

Tecnologias de ponta, por outro lado, garantem que boa parte do registro seja automatizada. Por exemplo, um relógio de ponto se comunica diretamente com um software de gestão da jornada de trabalho. Assim, há automação do controle e maior acerto no processo.

Produtividade

Outra vantagem está no ganho de produtividade. O profissional de RH não vai precisar se envolver nas atividades repetitivas e burocráticas, deixando isso a cargo da tecnologia, e poderá focar o que é estratégico, capaz de aumentar os resultados do RH e da empresa.

Como pudemos observar, há muito o que discutir sobre controle de ponto para funcionários. Mais do que atentar para os eventuais riscos, o gestor deve encontrar e implementar formas mais eficazes de monitorar o horário de trabalho. Desse modo, pode somar mais segurança e produtividade à gestão. No fim, todos — empregados e empregador — serão beneficiados.

Gostou do nosso artigo? Aproveite para conhecer os diferentes tipos de controle de ponto e saber qual é o melhor para sua empresa. Até já!

Registradores de Ponto para empresasPowered by Rock Convert

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário